Palestinos acordaram no último minuto ou tarde demais?

Após meses em que os Estados Unidos já declarou que está de acordo com a anexação do territórios na Cisjordânia, e o Estado de Israel iniciar os preparos para anexar de fato. Após constantes ameaças dos árabes e o fato de que Israel não os teme e não se importa de fato com o que eles dizem, será que os árabes palestinos acordaram no último minuto?

Pois bem, o fato é que a imprensa árabe está declarando que os palestinos estão oferecendo uma nova proposta, na última hora, para tentar evitar a anexação unilateral de Israel, e a perda da grande maioria dos territórios de um futuro estado palestino.

No ano 2000, os então primeiro ministro de Israel, Ehud Barak, ofereceu quase tudo aos árabes, possibilitou até mesmo a entrega da cidade velha de Jerusalém a administração internacional, e o Monte do Templo ficar sob a soberania árabe. Felizmente, o infeliz Yasser Arafat recusou a oferta generosa. Por causa disso, Jerusalém em sua integridade está até hoje sob a soberania do Estado de Israel.

Desde 2000, diversos líderes israelenses foram muito generosos com os árabes, fazendo concessões e demonstrando estarem disposto a dar quase tudo em troca de PAZ, até que chegou Benjamin Netanyahu, quem tem regido uma política dura e oferecendo o mínimo, o que levou a estagnação do processo de paz ilusório.

Segundo os próprios palestinos, eles querem voltar as propostas feitas em 2014, mas o fato é que nada de concreto foi alcançado neste ano, e o que eles querem é força Israel de voltar atrás e abdicar da anexação dos territórios, o que provavelmente não vai acontecer, visto que Israel já ganhou não somente a confiança americana, mas principalmente o apoio diplomático de Donald Trump e sua equipe.

Pois é, o fato é que os árabes palestinos não acordaram no último minuto, eles acordaram tarde demais, estão muito atrasados e o bonde não vai mais passar, era a última viagem. O Estado Palestino virou um sonho inviável em termos territoriais, e tenho minhas dúvidas se será viável em termos administrativos e sociais.

Add Comment

Deixe uma resposta