Josué Gonçalves: “Pessoas divorciadas não devem ser condenadas, mas ajudadas”

81
0


Josué Gonçalves: “Pessoas divorciadas não devem ser condenadas, mas ajudadas”

O divórcio não faz parte do propósito original de Deus para o homem. No entanto, o pastor Josué Gonçalves destaca que é preciso ter um olhar de compaixão sobre as pessoas que passaram pelo processo de separação.

Jesus foi claro em dizer que o divórcio nunca fez parte do propósito original de Deus para o homem. Isso não quer dizer que Deus deixou de amar ou continuar a ter um plano para essas pessoas”, disse o fundador do projeto Família Debaixo da Graça em seu canal no YouTube.

Deus sempre tem um plano para os que saem do plano. Ele jamais desiste de nós. Se não fosse assim, estaríamos irremediavelmente perdidos”, acrescentou. “Pessoas divorciadas não devem ser condenadas, nem aduladas, mas ajudadas com a sabedoria a alcançar a aprovação de Deus”.

Olhando para a Bíblia, Josué observa que Deus sempre investe em Sua aliança com o povo. “Ele ama o casamento. Deus jamais escolheu o caminho do divórcio, pois Ele é um Deus flexível e reconciliador”, afirma. “A essência da redenção que o Evangelho proporciona reside no espírito de reconciliação”.

O pastor afirma que o divórcio é “alternativa para pessoas que, de alguma forma, endureceram o coração para Deus no relacionamento”. Sua afirmação baseia-se em Mateus 19:8, onde Jesus diz: “Moisés lhes permitiu divorciar-se de suas mulheres por causa da dureza de coração de vocês. Mas não foi assim desde o princípio”.

Como encontrar o caminho para a reconciliação? De acordo com Josué, todas as vezes que a Bíblia menciona a construção de um lar, o referencial é a sabedoria.

“É interessante notar que a principal coisa que destrói muitos casamentos não é a falta de afeição, adultério ou até mesmo a incompatibilidade de gênios, mas a falta de sabedoria para resolver pequenos conflitos do dia a dia que tendem a se maximizar, tornando o relacionamento insuportável”, analisou.

Ele explica que a sabedoria é uma unção que vem como consequência de nossas influências espirituais. “Se nos subjugarmos à sensualidade, que é uma perversão do amor, nossa sabedoria será carnal e diabólica. Se nos submetermos ao amor de Deus, que foi expresso pelo sacrifício de Jesus, seremos ungidos pela sabedoria que vem do alto e estaremos assessorados por uma engenharia celestial para edificarmos nosso lar”.

O pastor reconhece que, na prática, o casamento não é algo tão simples como nos desfechos de filmes românticos. Por isso, é preciso buscar a mudança em Deus. “A restauração não é uma tarefa meramente natural. Precisamos da sabedoria que vem do alto para prover o encaixe necessário e manter uma postura de reconciliação”, esclarece.

Confira o vídeo completo:

This site is using SEO Baclinks plugin created by Locco.Ro